3 coisas que você deve fazer antes de pedir demissão para abrir empresa

São sete horas da noite e Pedro está indo pegar um outro funcionário da empresa onde trabalha para juntos voltarem ao escritório e corrigir um problema que está acontecendo em um dos equipamentos que serão auditados na manhã seguinte pela mesa fiscalizadora de uma grande licitação.

Em casa, sua mulher e sua filha, ficaram assistindo um filme infantil em uma noite de friozinho na cidade onde moram há quatro anos.

Após ter ficado o dia todo no escritório, são oito horas da noite e Pedro e seu colega adentram novamente o prédio onde talvez passem a noite em claro trabalhando.

Pedro está há dois anos nessa empresa, sempre dando tudo de si e periodicamente sendo promovido.

Ele sente orgulho disso, mas sabe que sai emprego, entra emprego, e ele tudo que faz é ralar e ralar.

Aos 34 anos, Pedro parou de correr no parque porque o tempo escasso, o cansaço e as parcelas do apartamento recém financiado não permitem que ele tire um tempo para si.

Porém, ele está esgotado.

lights-night-glass-rainy
São duas horas da manhã e Pedro e seu colega satisfeitos por terem solucionado o problema deixam o escritório da empresa rumo às suas casas.

Chegando de mansinho, Pedro vai até o quarto da sua filha dar uma olhada em como ela dorme e deita na cama tentando não fazer barulho, mas infelizmente desperta sua esposa que o encara com piedade.

Mais um dia acabou na vida de Pedro.

Amanhece e Pedro estende a mão sobre o criado mudo para desligar o despertador do celular que já avisa que é hora de levantar.

O olhar profundo para o teto suplica que alguma força vinda dos céus o faça levantar.

Lenta e vagarosamente ele vai caminhando para o banheiro.

Tira o pijama, abre vagarosamente a porta do box, liga a água quente do chuveiro e volta o seu rosto para o reflexo de si na parede de vidro do box.

A água escorrendo sobre o seu corpo tenta limpar o estresse do dia anterior enquanto o vapor tenta umedecer seu semblante rígido, tenso e duro cultivado através dos anos de trabalho.

Apesar da pouca idade, já se foram 15 anos trabalhando neste ritmo.

O olhar morto e sem sentido, mostram que o caminho que escolheu o está levando para mais próximo da depressão da ausência de propósito e realização.

Ele está cansado de enriquecer os outros e enxerga que se deu tudo de si à frente do negócio de estranhos, com certeza à frente do próprio negócio pode dar muito mais.

Apesar dessa certeza, o medo de se arriscar mantém sua alma presa na rigidez do dia-a-dia daquela cidade esfumaçada e fria.

“Não trabalhe para ninguém. Você não pode ganhar dinheiro trabalhando para outra pessoa.” ~ Phil Ruffin

É muito comum que empreendedores como o Pedro prefiram manter o emprego enquanto tocam em paralelo seus próprios negócios para terem mais segurança quando resolverem se dedicar 100% a vida de empreendedor.

No entanto, o que na maioria das vezes acontece, é ver os aspirantes a empreendedores se envolvendo em situações que tiram o foco do seu futuro negócio porque não estão atentos as coisas que realmente precisam ser feitas.

Acabam aceitando convites para festas, viagens e investimentos mais arriscados que desperdiçam seu tempo e seu dinheiro.

Se o medo de falhar à frente de um empreendimento congela as suas assim como as de Pedro e você, inevitavelmente, prefere ficar onde está, veja abaixo 3 coisas prioritárias que você deve focar a sua atenção antes de pedir demissão para tocar o seu próprio negócio.

Pule, mas pule de pára-quedas.

1. Produza sua MOEV

Antes de tomar qualquer atitude ou mesmo cogitar sair do seu atual emprego, crie a sua Mínima Oferta Economicamente Viável (MOEV).

Vá pra rua e pergunte ao nicho de mercado em que pretende atuar se eles se interessam e compram o que você está oferecendo.

Se você não sabe o que é isso e nem como criar algo deste tipo, nós temos um curso que ensina justamente isso.

Você precisa ter 100% de certeza e clareza de que o seu negócio pelo menos vende.

Faça uma pesquisa de mercado, fale com consumidores em potencial do seu produto e levante os dados dos seus principais concorrentes.

Essa Mínima Oferta Economicamente Viável deve ser capaz de produzir um pequeno caixa, do contrário, você vai fundamentar a decisão de ser dono do seu próprio negócio em uma hipótese não comprovada, o que é muito arriscado.

“Se você não estiver envergonhado da primeira versão do seu produto, você demorou demais para lançá-lo.” ~ Reid Hoffman, co-fundador do Linkedin

2. Verifique sua reserva financeira

Não existe nada mais assustador e angustiante que começar a empreender e nadar em um mar com tubarões do que ter dívidas ou pouco dinheiro.

Existem empreendedores que conseguirão lidar com isso, mas a maioria acaba desistindo de caminhar nessa estrada porque não consegue manter-se emocionalmente estável operando com a conta no vermelho.

Monte uma reserva de pelo menos 6 meses para você ficar seguro e poder investir nas melhorias que o seu negócio precisa para vender sempre mais.

Separe o dinheiro da empresa do seu dinheiro e nunca invista dinheiro da família no seu negócio, a não ser que vocês já possuam outros recursos investidos em imóveis, renda fixa ou no Tesouro Direto.

“É simples: ou você empreende ou vai acabar trabalhando para alguém que seguiu o próprio sonho.” ~ Jim Rohn

3. Monte um plano

Tenha um plano. Tenha metas.

Percebo uma grande parte dos aspirantes a empreendedor querendo partir para ação sem um plano bem definido.

Se empreender com planejamento já é arriscado, imagine sem planejamento?

Se você já gerou alguma receita com a sua ideia de negócio em sua fase mais embrionária, agora coloque no papel quais objetivos você pretende atingir, como pretende atingi-los e quando isso irá acontecer.

Tente não ser muito otimista, pois na planilha todo negócio é lucrativo.

Não sonhe que a partir do primeiro dia você terá 10 clientes entrando pela sua porta querendo comprar aquilo que você vende.

Baseando-se nas experiências que teve na construção da sua MOEV seja pessimista e planeje como você atrairá um só comprador para o seu negócio e verifique quantos compradores são suficiente para manter a sua operação funcionando.

Como testar uma ideia de negócio

Uma ideia de negócio evolui muito melhor com o feedback e uso dos clientes do que só com os insights da sua equipe.

O modelo clássico de desenvolvimento de ideias de negócio ensinado nas universidades vem envolto em sigilo e mistério:

  • desenvolva uma ideia de negócio em segredo,
  • convença todos os envolvidos a assinar acordos de confidencialidade,
  • levante milhões de dólares em capital de risco,
  • passe anos aperfeiçoando a sua ideia e
  • depois revele a sua criação para o espanto do mundo e o ruído ensurdecedor das caixas registradoras.

Veja no vídeo a seguir cinco métodos para criação de uma mínima oferta economicamente viável além de um estudo de caso sobre a Sanfonada Brasil, uma pequena indústria de fabricação de portas sanfonadas em madeira que abri com pouquíssimo investimento.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 354 outros assinantes

Sobre Marcos Rezende

Marcos Rezende é criador e principal editor do portal Negócio do Zero, além de ser também professor e orientador de empreendedores no Curso Online de Criação de Negócios do Zero voltado para quem deseja abrir o seu próprio negócio sem colocar em risco a segurança da sua família e de suas reservas financeiras.