Três dicas para driblar o medo de empreender

Antes de você começar a ler esse artigo quero te deixar a sugestão de baixar nossa coletânea com 130 ideias de negócio para abrir empresa com menos de mil reais

Empreender é realmente aterrorizante para quem passou a maior parte da vida como empregado. Abrir a sua própria empresa significa, entre outras coisas, que você terá muitas outras responsabilidades. Conseguir clientes, atrair funcionários e manter o fluxo de caixa no azul serão algumas das suas novas preocupações e isto assusta a qualquer pessoa. Felizmente não há nada de errado, pois é humano sentir medo sempre quando estamos prestes a dar um passo importante. O medo é o que nos coloca no chão, nos tira do mundo das idéias onde tudo o que imaginamos é perfeito e nos traz para a realidade. Porém, apesar do medo existir, precisamos confrontá-lo com coragem e driblá-lo com astúcia.

“O segredo de ir em frente é começar.” (Sally Berger).

1. PENSE PEQUENO
Ao invés de ter uma visão clara e simples de onde pretendemos chegar, acabamos criando uma visão turva e complexa do futuro, querendo abraçar o mundo de uma hora para outra e obter tudo o que desejamos de repente. Além disso, esquecemos que primeiro temos que ganhar mil reais para ganhar um milhão e ainda ficamos ansiosos para alcançar esse sonho distante da forma mais rápida. Ouvimos todos dizerem para pensarmos grande e quando fazemos isso nos frustramos, pois não conseguimos concretizar “o grande”.

Pensar pequeno é pensar simples. Admitimos que tudo o que estamos teorizando sobre o nosso futuro empreendimento, pode não ser verdade e criamos maneiras mais simples de concretizá-lo. Tomemos o exemplo de quem sonha em ter a sua própria empresa de turismo, mas que hoje atua como empregado dentro de outra empresa desta área ou até mesmo de outro ramo de negócio. Esta pessoa pode continuar trabalhando como empregado e, em tempo parcial, escrever pequenos roteiros de viagens e vendê-los pela internet. Melhor: ela pode focar em um nicho exclusivo de mercado e ali começar a sua empreitada. Isto lhe permitirá testar o negócio e fazê-lo crescer enquanto aprende e empreende.

“Não se satisfaça com nada que não seja o melhor de você.” (Edward Rowland Sill)

2. CRIE UM SISTEMA, NÃO UM EMPREGO
Crie sua metodologia de trabalho definindo a forma como executar o seu pequeno negócio e entregar aquilo que seus clientes comprarão, sejam produtos ou serviços. Crie uma estrutura que lhe posicione como referência no seu nicho de mercado e possibilite automatizar e delegar ao longo do tempo as suas tarefas. Desta forma, você criará inicialmente, uma empresa de uma pessoa só interpretando vários papéis, porém substituindo cada um deles por funcionários e parceiros conforme a empresa vai crescendo.

Para esclarecer melhor como seria este framework, vamos voltar ao exemplo do guia turístico que vende roteiros de viagens. Um dos seus produtos pode ser o roteiro de viagem, mas ela poderia acrescentar a prestação de serviços de traslado ou acompanhamento turísticos na cidade onde mora. Além disso, poderia ainda criar guias específicos de produtos que ele mesmo gosta de consumir e acompanhar seus clientes levando-os para conhecer o que há de melhor na cidade, fugindo dos roteiros padronizados já conhecidos por todos. Podem ser criados roteiros dos melhores restaurantes, de degustação de vinhos, de compras de porcelana e tantos outros que posicionem o guia como uma referência.

Rapidinho: Se você estiver interessado em ideias de negócio com pouco dinheiro, baixe agora nossa coletânea com 130 ideias de negócio para abrir empresa com menos de mil reais

Com o estabelecimento do negócio no mercado, pode-se começar a delegar diversas tarefas como o layout e design do guia e até mesmo incorporar parceiros no negócio para ampliar o leque de cidades atendidas pelos seus guias turísticos “diferentes”. Perceba que o objetivo de começar fazendo pouco, é construir um negócio da forma mais simples que possa funcionar, criando as bases para o que ele será no final. Se no final do percurso teremos uma grande empresa com muitos funcionários, não importa. O importante é começar com pouco e deixar a empresa amadurecer.

“Sucesso parece ser em grande parte uma questão de continuar depois que outros desistiram”. (William Feather)

3. TENHA PACIÊNCIA
Paciência é a chave para mantermos a disciplina e o foco no que desejamos. Compreendo que você deseja resolver as situações chatas da sua vida – como um emprego ruim – de uma hora para a outra, mas temos que admitir que se você construiu a si mesmo durante toda uma vida, precisará de paciência para se desconstruir. Estabeleça objetivos pequenos e concretize-os pouco a pouco. Obtenha feedback do mercado e trabalhe como se fosse um hobby – e se possível  ganhando algum dinheiro.

Encontro muitas pessoas que estão em situações de vida realmente desanimadoras, mas somente algumas, com alguns dias de retiro e concentração, conseguiram dar o primeiro, o segundo e os demais passos para construírem seus negócios de sucesso. O tempo de retorno de um investimento em um negócio depende fortemente de como a empresa é conduzida. Se ela sofre com qualquer turbulência e mostra suas fraquezas, ela fatalmente fracassa. Porém, se persiste e executa pacientemente o plano que foi estabelecido, se mantém forte e cresce cada vez mais.

Todo negócio precisa de um tempo de amadurecimento, como tudo na vida. Quando éramos mais jovens, não nos preocupávamos em ler ou estudar formas de criar negócios. Pensávamos, pelo contrário, na próxima festa que nossos amigos iam dar. Foram necessárias algumas crises para amadurecermos, pensarmos melhor na forma de como lidar com algumas situações da vida e cultivarmos uma vontade grande de acertar. Assim como nós, nossos negócios também precisam de um tempo para amadurecer e dar bons frutos. Precisam ser plantados para criar raízes, regados e adubados para crescerem e terem tempo para amadurecem e depois dar bons frutos.

“Tornar o simples em complicado é fácil, tornar o complicado em simples é criatividade.” (Charles Mingus)

CONCLUSÃO
Cada um de nós tem habilidades e gostos únicos. Percebemos isso facilmente, mas dificilmente colocamos em prática nossas habilidades e gostos quando não seguimos as dicas acima. Quando resolvi tornar-me problogger e desenvolver-me como escritor, o fiz por compreender que minhas habilidades e gostos, quando combinadas às competências que possuía, me realizariam profissionalmente. É claro que também senti medo, mas consegui driblá-lo quando foquei mais no que eu podia fazer do que nos modelos de negócios já existentes onde poderia me encaixar.

Se você está com medo de empreender, faça uma escolha: ou a sua vida ou a de outra pessoa. Quero dizer que se você está vivendo como empregado e sente mais prazer sendo empreendedor, significa que está ocupando uma vaga que não é sua. Pense nisso: o melhor investimento que você pode fazer é investir nos seus próprios talentos e no seu autoconhecimento.

Compreenda-se, equilibre-se e empreenda.

DICA BÔNUS: recomendo a leitura do nosso guia com 130 ideias de negócio para abrir empresa com menos de mil reais que vai ajudar você a encontrar a melhor ideia de negócio para abrir empresa.

Clique aqui para baixar a coletânea completa.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 406 outros assinantes

Sobre Marcos Rezende

Marcos Rezende é criador e principal editor do portal Negócio do Zero, além de ser também professor e orientador de empreendedores no Curso Online de Criação de Negócios do Zero voltado para quem deseja abrir o seu próprio negócio sem colocar em risco a segurança da sua família e de suas reservas financeiras.