5 requisitos para criar uma empresa equilibrada



Todos os dias, lá pelas três da manhã, a luta se inicia no céu entre a luz e a escuridão. A escuridão da noite, para se manter no céu ocupando o seu espaço, reduz a temperatura de todo o ambiente forçando a luz do sol a despender mais energia para vencê-la. A luz do sol então explode no horizonte tão viva e vermelha como a cor da guerra, para transpor a escuridão das trevas aquecendo fortemente o céu e lutando até enfim, vencer a batalha que é perdida horas depois quando, sabendo que perdeu parte da sua força, o Sol sai em retirada para se recompor para uma nova luta vencedora na madrugada do dia seguinte. Lutar pela presença e recuar para recobrar as forças. Como criar uma empresa equilibrada atuando como empreendedor e empresário nos dias atuais é o tema que levanto hoje a partir da observação natural de um confronto nos céus.

A META NÃO É VENCER, É EQUILIBRAR-SE
Antes de mais nada é preciso que nos conscientizemos que se escolhemos vencer, dizemos que outros escolheram perder e se alguém ganha ou perde algo, significa que está comparando a sua performance, o seu desempenho, a uma expectativa, a um padrão externo. Assim, não é possível perder ou ganhar de si mesmo, pois, mesmo que comparemos a nossa performance atual com o nosso desempenho anterior, estamos ignorando o fato de que no passado era impossível atuarmos da mesma maneira que hoje, já que o nosso desempenho passado foi fortemente afetado pela nossa falta de experiência na atividade com a qual desejamos medir nosso resultado.

Logo, usar a palavra vencer, só faz sentido quando nos comparamos a algo externo de nós e enquanto esta expectativa afetar as nossas atitudes, estas permanecerão desequilibradas em relação aquilo que a nossa natureza pede de nós. Podemos assim, chegar a conclusão de que devemos ir à luta sem vencer ou ganhar a guerra.

Todos nos dizem, desde muito pequenos que temos que vencer na vida, ser alguém. Já somos alguém, mesmo quando outros dizem que não somos ninguém. Ninguém é alguém não reconhecido por ninguém. Advérbios em grau comparativo são utilizados desde quando nos entendemos por gente e nos perdemos de nós nos comparando aos outros. Mas talvez a natureza possa explicar muito bem o que nós, pseudo-intelectuais, tentamos colocar no papel de forma didática.



Uma empresa equilibrada satisfaz aos seguintes requisitos

  1. Ela é movida pela ação e não pelo resultado.
  2. Ela se recolhe enquanto avança.
  3. Ela é eficiente em cada atividade que desempenha.
  4. Ela se observa para satisfazer o que está fora.
  5. Ela é fruto do desejo de todos que a compõe.

1. SEJA MOVIDO PELA AÇÃO E NÃO PELO RESULTADO
É muito difícil que as novas escolas de administração compreendam com clareza o que estamos querendo dizer quando falamos que o mais importante não é o resultado, que ele é apenas uma tentativa de adivinhar os resultados de cada uma das atividades atuais. O que importa para uma empresa tornar-se equilibrada é ela ter foco em cada ação daquilo que somente ela faz, produz.

Sua empresa quer bater uma meta extraordinária neste ano, mas só será possível atingi-la se os esforços de toda a equipe forem colocados sobre cada uma das atividades que cada um desempenha. Você presume que seu faturamento irá aumentar 30% este ano, mas nada irá adiantar se essa previsão de faturamento não se tornar realidade nos planos mais detalhistas de cada atividade. Para aumentar o faturamento desta maneira, não basta que a sua equipe de vendas esteja motivada e feche mais pedidos do que pode entregar, é preciso que cada um esteja alinhado com cada ação e tome a responsabilidade de que cada ação, por menor que seja, é que representará o resultado desejado.

2. SE RECOLHA ENQUANTO AVANÇA
Sua empresa está crescendo, bastante inclusive, mas todos nós sabemos, até os menos experientes, que não se pode dar um passo maior que a perna. Assim, para a empresa avançar com clareza e força é preciso ter duas coisas que muitos donos de empresa se esquecem: foco e especialização. Só quando sua empresa se recolhe ao máximo e refina cada um dos seus procedimentos, das suas atividades, e se especializa até o ponto de executá-las com perfeição, é que ela se destacará cada vez mais no meio da multidão.

Como o sol, que se recolhe à noite para recobrar as forças, nossas empresas não podem só se expandir, é preciso ter expansão e depois uma contração. Expansão e contração, tal qual a nossa respiração que logo após que põe para fora, se recolhe, se internaliza, para ter mais força para voltar a externalizar aquilo que consumiu. No caso das empresas, expiramos criação e inspiramos conhecimento de mercado.

3. SEJA EFICIENTE EM CADA ATIVIDADE QUE DESEMPENHA
De que adianta vender tanto, se não conseguimos dar conta, na retaguarda, da emissão das notas fiscais ou do controle do fluxo do caixa? Não há equilíbrio! É como se desde quando nascemos só usássemos um dos nossos braços, deixando o outro sem qualquer atividade. Logo, por mais que conseguíssemos fazer tudo com um só braço, nosso corpo atuaria em desequilíbrio consumindo muito mais energia do que se tivesse sido treinado a realizar desde cedo atividades com os dois braços.



Basta notar que a maioria das pessoas escreve somente com uma das mãos e sofre (gastando muito mais energia do que o necessário) para escrever com a outra mão. Da mesma forma que quem digita com todos os dedos economiza muito mais energia e tempo de quem digita com apenas alguns dedos. Se nossas empresas forem totalmente boas tecnicamente e deixarem a desejar administrativamente, estamos colocando todo “nosso corpo” em risco!

4. SE OBSERVE PARA SATISFAZER O QUE ESTÁ FORA
Quer desperdiçar tempo e energia? Comece a estudar cada um dos seus concorrentes ao invés de estudar a si mesmo. Estude o que os outros estão fazendo, copie a maneira como eles fazem o trabalho deles, avalie, meça os riscos, aponte os culpados e desligue-se daquilo que você está fazendo, da forma como atua a sua empresa.

Se você se observa constantemente, sabe plenamente e com total certeza o que faz com eficiência e o que não faz com tanta eficiência assim. Desta forma, quando vê uma oportunidade fora, sabe que dentro você tem alguma coisa para satisfazer aquele “cliente em potencial” que acabou de descobrir. Quanto mais aumentamos o conhecimento sobre nós mesmos ou nossas empresas, maiores são as nossas chances de saber quando temos total força para reinar ou fraqueza certa para sucumbir.

Se existe um obstáculo de um metro à sua frente e você sabe, por experiência própria, que é capaz de transpor aquele obstáculo, suas certezas aumentarão.

5. CONDUZA SUA EMPRESA PARA TODOS
Uma empresa é a reunião de todos que a compõe. Não só dentro, mas fora também. Nossos clientes e fornecedores fazem tanto parte da empresa como nossos funcionários. É por isso que devemos ter o mesmo cuidado para selecionar clientes e fornecedores como temos para selecionar nossos funcionários. Pode parecer estranho falarmos em selecionar clientes, mas se você não os seleciona com eficiência como saberá se você pode dar aquilo que eles estão precisando?

Sua empresa não é sua, ela é do mundo. Ela ficará aqui amanhã, mesmo que você morra. Por isso é tão importante que ela seja equilibradamente sustentável ao ponto de levar riquezas para seus colaboradores, fornecedores e clientes da mesma forma que leva riqueza para a sua família. Todos fazem parte dela, assim como todos fazem parte da nossa vida. Já dizia a frase “diga-me com quem andas que te direi quem és”.

CONCLUSÃO
Tudo é um simples exercício de nos tornarmos apenas um instrumento de melhoria contínua de nós mesmos. De fato, não somos o que parecemos ser, nem pensamos o que parecemos pensar. Dia, noite, frio e calor, são apenas condições, ferramentas, máquinas onde podemos exercitar a nossa clareza e discernimento para decidirmos onde é melhor nos posicionarmos para servir àqueles que nos chegam a mesa.

A pior coisa que podemos fazer em vida? Deixar de prestar atenção a cada um dos momentos que ela nos fornece. Empreendamos.