7 dicas para sair da zona de conforto e perder a vergonha de empreender



Ser empreendedor é ser um verdadeiro cara de pau. O empreendedor já acorda cheio de idéias querendo mudar o mundo. Depois, o empreendedor tenta convencer familiares e amigos de que as suas idéias são as melhores. Passa pelo vexame de ter todas as suas idéias rejeitadas, mas ainda assim continua sonhando. Como o sonho na cabeça e a paixão no coração, o empreendedor sai à caça nas ruas de quem compre a sua idéia. Fala com clientes em potenciais, fornecedores e quem quer que cruze o seu caminho para colocar a sua “brilhante” idéia em prática logo. Além de cara de pau, poderíamos dizer que o empreendedor é um chato formado, mas que antes de tudo, é também alguém que não fica confortável atrás de uma mesa de escritório esperando as coisas acontecerem. Empreendedor que é empreendedor, ama o desconforto e é sobre esse tema que quero falar a você no dia de hoje.

Já tinha lido The Four Hour Workweek do Timothy Ferriss, mas voltando do Rio de Janeiro nesse último final de semana e contrariando a minha própria regra de não comprar livros em aeroportos (porque são muito mais caros que em livrarias físicas e online) comprei Trabalhe 4 Horas por Semana, edição em português do livro em inglês lançado pela Editora Planeta. Por algum motivo eu ainda não tinha visto esse livro nas ruas, mas justamente nesse final de semana, me deparei com o dito cujo e “engoli” todas as mais de 300 páginas do livro em três dias (geralmente leio bem devagar um livro, pois gosto de ir mastigando as idéias, mas esse eu “engoli”).

No livro, que é repleto de dicas para empreendedores pensarem fora da caixa, Tim Ferris adiciona uma dose a mais de aventura desafiando o leitor confrontar o conforto intelectual e emocional a qual tanto estamos presos. Nós próprios, através dos nossos sistemas educacionais e da nossa cultura criamos métodos de seleção e ordenação para evitar o confronto entre nós mesmos. Desta forma, ficou “coerente” não ligar para uma pessoa que você ache que não tenha nada a dizer a ela ou deitar-se no chão da Av. Paulista em São Paulo ou da Rua XV de Novembro em Curitiba. O “coerente” nos trouxe o conforto de não nos arriscarmos e por isso, também nos trouxe a dificuldade de empreendermos com eficiência.

Buscando sempre o conforto, ficamos desconfortáveis. Interessante…



DUAS POSSIBILIDADES PARA O HOJE
Hoje você está trabalhando para uma empresa, saindo uma ou duas horas antes de casa para chegar no horário, checando seus e-mails devidamente, indo almoçar com seus colegas de trabalho e depois passando a tarde em frente ao computador novamente para depois sair do trabalho e chegar em casa já à noite perto da hora de dormir.

Hoje você coordena suas empresas, delegando o máximo que pode das suas decisões para concentrar-se naquilo que mais e melhor sabe fazer. Utilizando seus talentos, você trabalha por que gosta e elimina todo o estresse causado pelas interrupções sem sentido e melhorando a si mesmo diariamente para poder melhorar a sua qualidade de vida.

Enquanto na primeira opção o seu foco era de manter a sua conta bancária no azul, para conseguir juntar algum dinheiro para as suas férias anuais ou seu plano de aposentadoria de final de vida, na segunda, o foco é identificar o que está errado hoje na sua vida que pode ser alterado, eliminando sujeira e delegando poderes, gerando assim, um sistema positivo de fluxo de atividades que trazem benefícios como melhora da qualidade de vida e prosperidade para você e para aqueles que o cercam.

MUDANÇA DE HÁBITOS = MUDANÇA DE VIDA
Se você sinceramente parar um pouco para observar cada um dos seus hábitos conseguirá identificar muitos vícios que estão aprisionando você à sua própria vida. Aprendi isso em livros de PNL. Nossos hábitos são resultado do cultivo de determinados padrões de pensamento que construímos ao longo da nossa vida. Assim, talvez ao invés de mudarmos nossos pensamentos (e para isso fazermos um esforço muito grande), podemos mudar nossos hábitos e eles, fazendo o caminho contrário, mudarem nossos pensamentos.

Se você cultivar o mesmo hábito por 28 dias, ele entrará em seu sistema de automação e assim será executado de forma espontânea sem esforço. Quanto mais esse hábito for executado, mais ele se enraizará na sua personalidade e cada vez mais você o fará com menos esforço. Com isso concluímos que não dá para acabar com todos os vícios da nossa personalidade construída em 20, 30 ou 50 anos em apenas 28 dias, mas podemos começar a mudar quem nós somos e o que pensamos nesses 28 dias, continuando (após esse período) firmes ao nosso propósito de nos libertarmos de quem éramos para nos tornarmos quem desejamos ser. Basta querer e persistir (ou melhor insistir).

DICAS DO TIM FERRIS
As dicas abaixo não irão agir como os novos bons hábitos podem agir sobre a sua personalidade, mas irão apresentar uma quebra de paradigma à ela que pode até se sentir um pouco perdida, mas talvez somente, por ter sido colocada fora do quadrado ao qual estava confortável. Algumas dicas eu já fiz no passado, mas a última delas estou doido para colocar em prática. Deve ser um barato não?



1. Aprenda a encarar os outros nos olhos
Dica super simples e que faz uma diferença enorme principalmente para quem sofre de baixa auto-estima. Basta ir até locais públicos e fitar as pessoas nos olhos. O melhor é começar a fazer isso com todas as pessoas que você encontrar, sejam elas conhecidas ou desconhecidas. Você pode descobrir reações que nunca havia percebido nelas antes e ter na outra ponta da comunicação, uma pessoa que valorize você justamente porque você a valoriza.

2. Aprenda a propor
A dica é para parar de pedir opinião e começar a propor soluções. Essa mania defensiva de que algumas pessoas cultivam de sempre precisarem da aprovação da outra pessoa, demonstra que ela não se considera suficientemente boa. Infelizmente, essa pessoa precisa da aprovação alheia e isto é péssimo para qualquer empreendedor. Somada a esta dica eu proponho mais uma: pare de falar dos seus planos, idéias e empreendimentos. Talvez você só fale das idéias para receber aprovação do seu interlocutor e não para colocá-la em prática, já pensou nisso? Fale menos e faça mais.

3. Conseguir números de telefone
Que tal pedir números de telefone de pessoas desconhecidas do sexo oposto na rua? Se você tiver um compromisso com alguém, simplesmente peça o telefone e jogue-o fora depois de consegui-lo. A beleza desta dica está em sair do desconforto vencendo a baixa auto-estima para conseguir o telefone de alguém do sexo oposto em lugares incomuns. Para mim que não sou nada inibido isto sempre foi fácil e me ajudou bastante nas vendas de tudo o que já fiz, desde entrevistas de emprego (onde eu vendia a mim mesmo) a vendas dos serviços da Noxion. Falar com desconhecidos é uma maneira interessante de conhecer outras perspectivas do mundo.

4. Diga não a tudo
Esta dica é ótima! Separe dois dias da próxima semana para simplesmente dizer não a tudo. Desde convites para ir ao cinema ou perguntas simples como quer que eu te sirva, a propostas mais complexas como a entrada de um novo projeto ou compra de um novo mobiliário. Enfim, diga não para tudo! Pelo menos para mim este exercício foi ótimo para me mostrar que dizer não é uma coisa bastante simples, que inclusive pode evitar grandes problemas para a nossa vida.

5. Use a crítica-sanduíche
Essa dica é aprendida em quase todos os cursos de liderança e é ótima para quem deseja formar a sua própria equipe de trabalho delegando boa parte das suas decisões. Em resumo, o que precisa ser feito é fazer um elogio, criticar e depois elogiar na mesma conversa. Você precisa chamar a atenção de alguém para um problema e não sabe como? Bem, elogie um trabalho recente da pessoa ou algo que ela tenha feito para você, depois faça a sua critica pedindo à pessoa uma solução e antes de encerrar a conversa finalize com um outro elogio. A pessoa entenderá a sua mensagem e não verá em você uma pessoa grossa e negativa que só vê o lado ruim das coisas.

6. Encontrar Yoda
Quem vende alguma coisa sabe que encontrar a pessoa certa (o tomador de decisões) para se falar dentro de uma empresa é uma coisa difícil, porém necessária de ser feita. Agora imagine falar com uma celebridade dos negócios, um CEO ou aquela pessoa que você mais admira autora de livros respeitáveis? O que acha? Antes de pensar que é impossível, faça o teste e insista, pois os melhores vendedores são aqueles que vencem a barreira entre o conforto e o inesperado. Eu sempre me lembro que aquela pessoa com a qual desejo falar é igual a mim, só que com outros talentos e outros problemas. Ela vai ao banheiro como eu, toma banho como eu e sofre (talvez) das mesmas penas que a minha personalidade sofre só que sob outro ângulo. Este exercício pode abrir a sua mente totalmente. Cuidado! 🙂

7. Relaxar em público
Apesar de ter pagado micos extraordinários quando era calouro no CEFET-RJ (uma vez tive que entrar enrolado de papel higiênico da cabeça aos pés no ônibus gritando “Eu sou Mumm-Ra! O de vida eterna!”) a idéia de deitar no chão de uma rua movimentada em plena luz do dia, bem no meio do povo como quem não quer nada durante 10 segundos para depois levantar sem dar qualquer explicação é uma dica para sair da zona do conforto que realmente faz brilhar meus olhos nada tímidos. Essa deve ser uma experiência única porque pagar mico aos 15 anos de idade é bem diferente que aos 30, 40 ou 60 anos. Como ninguém está prejudicando ninguém, acredito que, assim como os trotes foram bons para mim, tentar fazer isso pelo menos uma vez por semana, pode dar o estalo final que faltava para o seu intelecto e as suas emoções se libertarem definitivamente da domesticação humana.

Relembre Thundercats x Mumm-Ra, transforme esta forma decadente de empreendedor e saia da zona de conforto! Somente o horror do reflexo da sua imagem é o que poderá detê-lo.





15 Comentários

  1. Esse texto vem a calhar para pessoas da minha personalidade. Há anos tento mudar hábitos que só me fazem procrastinar decisões importantes para a minha vida.

  2. Oi Marco, tudo bem?

    O blog é muito bacana. Dei uma olhada em vários posts e achei que o conteúdo explana bem o dia-a-dia de um empreendedor.

    Queria te convidar para conhecer o Pensando Grande que tem a mesma proposta que o teu.

    Podemos pensar em alguma parceria ou troca de material, o que acha?

    Um abraço!

  3. Excelente post. Algumas das dicas já coloco em prática, e realmente uma das coisas mais dificeis pra mim é fitar alguém nos olhos por muito tempo, o que me dá bastante energia quando faço. Mas confesso que me deu uma vontade de aplicar a 7 em breve…rs. Que tenha coragem! Abraço.

  4. ótimo post.. sair da zona de conforto é o que mais é preciso atualmente… esse post me ajudou relativamente

  5. Parabéns. Suas idéas são ótimas e motivadoras. Tudo o que eu precisava ler para me posicionar e sair do comodismo.

    Logo, logo te escrevo para contar os resultados. Abraços

  6. oi Marcos, estava procurando algo sobre sair da zona de conforto (sair da caverna- II Samuel) e acabei achando do seu blog, o qual me prendeu a atençao. Li varias artigos e não conseguia para de ler. Gosto muito dessa parte de empreendedorismo, e hoje foi um dia que eu estava precisando muito ler tudo que li!!! Foi otimo. Dá um ânimo na gente e renova as forças para sairmos da caverna, da zona de conforto. Obrigada e que Deus lhe conserve assim, cheio de vida e ajudando a outros.

  7. Olá Marcos, gostaria do fundo do coração lhe parabenizar e agradecer por esta iniciativa de ajudar ao próximo, com estes textos que retratam muitas coisas que passamos em nossas vidas e que as vezes precisamos ler, ouvir experiencias de outras pessoas. Muito obrigado por esta iniciativa, está de parabéns continue assim e que DEUS te abençoe e trilhe seus caminhos. Sucesso!

Comentários não permitidos.