Casal unido, enriquece unido: 4 dicas de planejamento financeiro para casais



Se você e seu parceiro/a são como a maioria dos casais, é provável que vocês discutam por dinheiro. Vários estudos mostram que o dinheiro é a razão número 1 do porquê casais brigam – e muitos dos recém-divorciados dizem que essas batalhas foram o principal motivo da separação.

As pessoas tendem a ser emocionais e reativas em relação ao dinheiro, quando deveriam ser frias e estratégicas.



Contudo, quando se está casado, é essencial evitar os erros financeiros que podem abalar a harmonia de um lar.

Desta forma, para te ajudar a fazer com que sua próxima reunião de família sobre dinheiro corra bem e sem brigas, reunimos 4 dicas de planejamento financeiro para serem aplicadas a partir de agora!

  • Dica 1: Organizar as Finanças

Um dos primeiros problemas que os recém-casados enfrentam é como lidar com suas finanças. Muitos se perguntam se devem mesclar tudo o que possuem em uma conta conjunta ou se devem manter as contas individuais.

A verdade é que a escolha certa pode estar em algum lugar no meio dessas opções. É necessário que os indivíduos dentro de um casamento possuam um pouco de autonomia, mas também pratiquem a união financeira.

O conselho acaba sendo diferente quando um dos cônjuges já começa o matrimônio com uma alta carga de dívidas.

Mas, supondo que vocês dois tenham uma boa saúde financeira, é possível encontrar uma maneira de combinar confortavelmente as finanças sem se sentirem pressionados a abandonarem a autonomia sobre o que ganham e onde gastam.



Com o tempo – quando as crianças e as contas mais caras entram em ação – muitos casais acham que juntar todas as suas finanças é simplesmente mais fácil.

  • Dica 2: Lidar com as dívidas de forma conjunta

De todas as questões que provocam uma briga, as dívidas estão, sem sombra de dúvidas, em primeiro lugar. Esse é um dos pontos onde os casais têm mais discordância.

Em muitos casos, um cônjuge entra no casamento com muito mais dívidas do que o outro. Então, pode ser frustrante que mesmo com uma vida financeira equilibrada nos seus 20 ou 30 anos, você se encontra com um parceiro que está endividado.

O que fazer em situações como essa?

Goste ou não, uma vez que você é casado, as dívidas do seu cônjuge agora são seu problema também. É verdade que você não é legalmente responsável pelos saldos do cartão de crédito antes de se casar, ou por quaisquer empréstimos abertos com o nome do seu cônjuge – desde que você mantenha suas finanças completamente separadas.

Mas, mesmo com finanças separadas, a pontuação de crédito do seu cônjuge afetará sua capacidade de obter um empréstimo e talvez você precise recorrer a um empréstimo com restrição, ou seja, um crédito para pessoas com nome sujo e, infelizmente, com taxas de juros mais elevadas.

Assim, os casais devem encontrar uma maneira de pagar as dívidas o mais rápido possível e sem atrasos.

  • Dica 3: Diminuir os Gastos

Seu marido reclama que você gasta muito, mas depois chega em casa com um sorriso enorme com – surpresa! – uma TV nova.



Soa familiar? O gasto descontrolado, irresponsável ou sem comum acordo é o segundo motivo mais comum pelo qual os casais brigam.

O que geralmente acontece é que um dos cônjuges é sempre rotulado como “gastador“. Na maioria dos casos, no entanto, não é isso que ocorre.

Estudos mostram que homens e mulheres gastam quase o mesmo valor, mas de forma diferente. As mulheres, geralmente, cuidam da maioria das despesas diárias da família: feira, as contas, roupas para a família – enquanto os homens gastam em grandes compras, como televisores, computadores, videogames para as crianças ou computadores.

A solução para essa questão é identificar o problema real, ou seja, que vocês estão gastando dinheiro com um orçamento apertado. Em seguida, sentem-se e decidam quanto dinheiro vocês deixarão para o “dia-a-dia” e quanto economizarão para as grandes compras.

  • Dica 4: Hora de Investir

 

Além de poupar, é necessário realizar um planejamento estratégico para que o dinheiro de vocês possa crescer através de investimentos seguros.

 

Quando o assunto são as aplicações financeiras do casal, em geral os homens são mais propensos a assumir risco maiores do que suas esposas e podem querer se “aventurarem” em investimentos mais ousados, como por exemplo a Bolsa de Valores (Renda Variável).

Entretanto, se nenhum dos dois possui vastos conhecimentos financeiros, o mais prudente e seguro é iniciar pela Renda Fixa, principalmente por aplicações mais simples como Tesouro Direto, LCI e CDB.

Caso ambos não possuam qualquer experiência no assunto, procurem a ajuda de um profissional ou de um bom livro sobre educação financeira.

#Dica de livro: “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos” – Gustavo Cerbasi

Quaisquer que sejam as opções que escolherem, revejam seus investimentos juntos pelo menos uma vez por ano e certifiquem-se de que, no geral, sua carteira possui equilíbrio de riscos e prazos.

Aplicando as dicas acima, você e seu cônjuge poderão desfrutar de um casamento mais seguro e financeiramente estável, além de não precisarem mais lidar com estresses e brigas sobre dinheiro.

Gostou do nosso artigo? Que tal deixar seu comentário aqui embaixo e compartilhar em suas redes sociais para ajudar outros casais?

Autor: Daniel Belalian