Como comecei com Terezinha Rêgo do mapasequestoes.com.br



Hoje iremos conhecer a história inspiradora de Terezinha Rêgo, sócio-fundadora de um site que vende Mapas Mentais para Concursos Públicos. Ela que é de Natal e mora em Maceió, nos contou como foi que criou este modelo de negócio único e que até pouco tempo só a empresa dela fazia. A ideia era simples, vender os mapas mentais que a própria Terezinha fazia para facilitar os seus estudos para concursos públicos. Na realidade, a ideia original não era vender os seus mapas mentais, mas somente compartilhá-los pela internet. Porém, de uma forma bastante natural e nada inusitada, Terezinha e o seu marido, ambos da área de Tecnologia da Informação, descobriram um nicho de mercado promissor e nada explorado até aquele momento: a criação de mapas mentais para auxiliar os estudos para concursos públicos. Terezinha, já acostumada a criar os seus mapas mentais, compartilhou-os na internet e hoje conduz uma empresa que já anda com as próprias pernas e conseguiu tirar o seu marido do emprego com facilidade. Agora, Terezinha, está preparada para dar o segundo passo e adquirir a liberdade geográfica, cronológica e financeira, tão sonhada junto de sua família.

COMO TUDO COMEÇOU
Terezinha é servidora pública desde 2002 e utilizou os mapas mentais, que hoje vende através do seu site, para o próprio estudo, coisa que ela nem sonhava que iria acontecer. Fiquei muito espantado e entusiasmado com esse relato, porque mais uma vez ficou comprovado que basta olharmos para um problema, que estamos enfrentando no momento com atenção, para que, sobre ele, possamos construir um negócio para compartilhar a nossa solução com o mundo. Foi exatamente o que Terezinha fez. Você se lembra do post, daqui do site mesmo, sobre sermos capazes de trabalhar sem esperar resultados? Terezinha criou 1000 mapas mentais, antes de comercializá-los no seu site de 2002 a 2008 quando começaram as vendas. Talvez fosse por causa de tanto conteúdo de qualidade que ela conseguiu sucesso em tão pouco tempo.



Ela começou colocando parte do seu conteúdo de mapas mentais em um blog, onde surgiram muitos interessados pelo seu trabalho. Com o tempo, os próprios visitantes do blog foram solicitando novos mapas e inclusive sugerindo a ela que vendesse alguns através daquele canal. Ouvindo a voz dos clientes, Terezinha começou as vendas com depósito em conta bancária e enviando os produtos por e-mail. Após isso, decidiu profissionalizar os seus produtos e torná-los realmente bens de consumo.

Áudio: 3:11 a 4:08 (Retirar, por favor, o meu “Hã” no meio da conversa – hoje estou mais calado 🙂

RESOLVENDO O SEU PROBLEMA, RESOLVEU O DOS OUTROS
Segundo o marido de Terezinha, a chave para o negócio ter deslanchado com tanto sucesso, se deu ao fato dela ter resolvido primeiro um problema dela, para depois compartilhar a solução com outras pessoas. Para Teresinha, o estudo para concursos públicos, muitas vezes enfadonho e chato, iniciava pela construção de mapas mentais sobre a matéria que iria estudar. Desta forma, ela conseguia ganhar tempo no desenvolvimento do seu estudo e ainda se “distrair” fazendo os seus mapas mentais. Foi com essa “distração” que ela passou em um concurso público no ano de 2002 e hoje vende suas soluções de estudo na internet.

O site hoje tem uma demanda muito grande de novos assuntos, mas como Terezinha pretende ter sucesso fazendo somente o que gosta, ela prefere não construir certos mapas, sobre determinados assuntos, pois não tem uma simpatia com o assunto. Apesar de estar cursando Direito atualmente e muitas pessoas pedirem mapas mentais sobre a área Processual, Terezinha não se arrisca a confeccionar este material porque não é uma área que ela estudou ou tem domínio. O negócio que começou para ajudá-la nos estudos, ainda hoje é direcionado para ele. Se ela estuda sobre uma área, ela produz mapas mentais, mas se não estuda, então nem se arrisca.

Áudio: 5:29 a 06:45

PASSO A PASSO PARA A INDEPENDÊNCIA
Como ambos, ela e o marido, são da área de TI, foi fácil unir o útil ao agradável, para trabalharem juntos e colocar o site no ar, direcionando suas vidas para a independência geográfica, cronológica e financeira que Terezinha tanto sonha. O primeiro passo foi tirar um dos sócios do emprego que tinha uma carga horária mais puxada. Este era o caso do marido de Terezinha que trabalhava na iniciativa privada. Assim que conseguiram obter renda suficiente para pagar o antigo salário do marido de Terezinha, ambos optaram pela saída que resultou em maior liberdade e flexibilidade para toda família.



Áudio: 9:03 a 09:26 e depois de 09:39 a 10:09 e depois 10:12 a 10:34 (crianças começavam a chorar ao fundo 🙂

Hoje Terezinha ainda está ocupando um cargo público, mas somente até que o site lhe dê retorno e ela consiga também, como seu marido, deixar o emprego para tocar o seu próprio negócio. Numa vida corrida de emprego, faculdade e produção de mapas mentais, Terezinha está satisfeita com o futuro que está criando para si e sua família, dentro de um negócio que coube como uma luva naquilo que ela imaginava como ideal de vida.

Áudio: 20:52 a 22:20

DICA PARA QUEM PRETENDE EMPREENDER
Existem pessoas que estudam muito sobre um determinado negócio e são até esforçadas para colocá-lo em prática, mas alguma coisa acontece que o negócio não consegue ter sucesso em um médio e longo prazo. Terezinha deu uma dica, até já um pouco batida, mas foi a que utilizou quando começou o seu empreendimento há três anos.

Ela indica a estratégia de criar um blog, como a primeira ferramenta para obter feedback sobre o seu negócio. Responder e-mails dos visitantes ou analisar as estatísticas dos relatórios de visitas, fazem o diferencial na vida do futuro empresário, que começa a enxergar pequenos nichos de mercado dentro do seu próprio negócio. Produzindo conteúdo para estes nichos, aumentam as vendas e o potencial do crescimento da empresa, solidificando a marca para um grupo de clientes bastante específico. Será este feedback que dará um Norte para o negócio.

Áudio: 24:54 a 27:00

CONCLUSÃO
Quando queremos empreender, podemos procurar dentro dos nossos próprios problemas e do nosso pequeno círculo social, aquilo que podemos resolver para depois compartilhar. Além disso, obter feedback do mercado através de sugestões de amigos, clientes, não-clientes e leitores do seu blog, é o que fará a diferença lá frente. Para Terezinha, o processo de construção do seu negócio foi excelente e aconteceu sozinho, naturalmente. Ela dedicou-se a fazer mais daquilo que já sentia prazer em fazer e as novas situações foram apresentando-se à sua frente, no mesmo passo em que o negócio crescia.

Se ficou uma dica preciosa deste negócio, é que a solução para os nossos empreendimentos está dentro de nós e não fora, como a maioria das pessoas pensam.





1 Comentário

Comentários não permitidos.