8 dicas da neurociência para turbinar o cérebro



Segundo a Wikipedia, neurociência é o estudo do sistema nervoso: sua estrutura, seu desenvolvimento, funcionamento, evolução, relação com o comportamento e a mente, e também suas alterações.

Um excelente livro sobre o assunto é Your Brain at Work, escrito pelo neurocientista David Rock e que apresenta estratégias para vencer as distrações, recuperar o foco e trabalhar de forma mais inteligente durante todo o dia.



Abaixo, nós resumimos em oito tópicos o que há de melhor no livro, mas recomendamos que você compre para absorver mais do seu conteúdo.

Dicas da neurociência

1. NÃO TENTE PLANEJAR NADA AO LONGO DO DIA

Toda vez que planejamos algo, o nosso cérebro consome muitos recursos.

A neurociência explica que temos uma espécie de pequeno palco no nosso cérebro onde só cabem um ou dois atores de cada vez.

Por isso, as tarefas de planejamento devem vir no início do dia, para que ao longo do dia façamos tarefas mais “burras”, ou melhor, “automáticas”.

Gastamos muita energia quando ficamos feito “barata tonta” sem saber o que fazer primeiro.

A cabeça, cheia de problemas, volta e meia, trás mais um problema prioritário a mente e ficamos nessa de apagar incêndios o dia todo.



Priorize e planeje primeiro o seu dia.

Depois só execute.

2. SIMPLIFIQUE, PRIORIZE E DESENHE NO PAPEL

A parte do cérebro que toma decisões, é muito pequena e logo se enche.

Portanto, se temos muitas coisas a serem feitas ao longo do dia, a melhor coisa que possamos fazer para maximizar o desempenho do nosso cérebro segundo a neurociência, é escrevê-las no papel e depois tentar agrupá-las dentro de poucos itens.

Depois disto feito, o melhor é desenharmos no papel algum símbolo que nos lembre daquela tarefa.

Assim utilizamos menos recursos ainda do cérebro, que não precisa guardar conjuntos de palavras e sim apenas imagens/símbolos.

Se por exemplo tenho que escrever artigos para o site da minha empresa, guardo as ideias de titulo dos artigos em uma lista, mas na lista de tarefas do meu dia, desenho apenas a logo da minha empresa e o desenho de um lápis no papel, que automaticamente me lembra que devo fazer aquilo primeiro.

3. FAÇA APENAS UMA TAREFA POR VEZ

Entendo que o mundo é multi-tarefa e que tem muita gente que diz que consegue trabalhar fazendo mil coisas ao mesmo tempo.



A verdade é que elas não conseguem.

Elas estão, em bom português, “esmerilhando” o cérebro delas.

Se tentarmos fazer tarefas que envolvem alguma decisão nossa, ao mesmo tempo em que tentamos executar uma atividade motora, uma atrapalha a outra.

Estudos da neurociência mostram que essas duas partes do cérebro estão ligadas.

Por isso não é recomendado que se fale ao celular enquanto dirige.

Tanto as nossas decisões tomadas na conversa ao celular serão influenciadas, assim como a nossa destreza para dirigir.

Quando tiver que se concentrar em algo, encerre tudo o que possa te interromper: a porta do escritório, o skype, o celular, o e-mail, etc.

4. MANIPULE A HISTÓRIA DA VIDA QUE VIVE

Segundo a neurociência, nós podemos conscientemente manipular nossos níveis de norepinefrina e dopamina, de muitas formas para maximizar nossa capacidade de alerta e interesse.

Essas duas substâncias, produzidas pelo cérebro, são responsáveis por influenciar o nosso humor, nosso nível de ansiedade, poder de sono, alimentação, níveis de prazer e motivação.

Ambas são ativadas pelas histórias que produzimos no nosso cérebro.

Pintar os acontecimentos que vivenciamos de “rosa” é uma coisa muito boa, não porque elimina o nosso estresse, mas aumenta a sensação de prazer.

Deu uma topada e arrebentou o tênis?

Manipule o acontecimento dizendo para si: “Finalmente esse tênis arrebentou para eu comprar outro”.

5. RELAXE A SUA MENTE E TENHA MAIS INSIGHTS

Existem determinados momentos da nossa vida onde vivemos um impasse.

Não chegamos à solução nenhuma e ficamos brigando com a nossa cabeça para enxergarmos uma saída do nosso problema.

O ideal para fazer neste caso, conforme comprovam estudos realizados no campo da neurociência, é deixar pra lá.

Isso mesmo.

Relaxe.

Vá fazer outra coisa.

Até mesmo uma simples caminhada até a panificadora da esquina, já pode nos livrar do nosso impasse.

Uma mente relaxada e com um mínimo de atividade elétrica, é o jeito mais fácil para se ter cada vez mais ideias.

Talvez por isso Einstein disse uma vez:

“Paro de pensar e a verdade me é revelada”.

6. MATENHA-SE OTIMISTA

Se deixarmos, o nosso cérebro não pára.

Ele é apaixonado por histórias e as ficará remoendo sempre se permitirmos.

  • Você já se pensou no que poderia ter acontecido em algo que já aconteceu?
  • Ou no que pode acontecer em um acontecimento que ainda não ocorreu?

Nosso cérebro adora vivenciar múltiplas opções para os acontecimentos.

Quando imaginamos todas as opções que podem nos acontecer, estamos vivenciando-as e com isso perdendo muita energia.

Manter-se otimista, é a melhor solução para manter o nosso nível de performance lá em cima.

As pessoas que cultivam o pensamento de que “sempre vai acontecer o melhor para elas” vivem mais e tem melhor desempenho no trabalho.

7. CULTIVE SEGURANÇA

Tem gente que não sabe o que quer, para onde vai ou o que está fazendo.

Elas deixam tudo a “Deus dará” e vivem uma vida angustiante.

A neurociência ensina que o nosso cérebro quer ter certeza das coisas.

Ele precisa saber o que fazer amanhã, e depois, e depois.

Do contrário, ele mesmo vai ficar maquinando e gastando a energia de todo o nosso corpo para descobrir o que fazer.

Precisamos assumir o controle e dirigir este veículo.

Do contrário, vamos ficar com quem anda de bicicleta em rua de terra e pedra sem as duas mãos. Não vamos ficar muito tempo equilibrados né?

8. NÃO SUPERESTIME SUAS EXPECTATIVAS

Se você nunca estabeleceu metas ou nunca as cumpriu, não faça agora como a maioria das pessoas faz e coloque suas metas lá em cima.

Comece por baixo.

Se você quer comprar um carro no final do ano, porque não trazer um pouco essa meta para próximo do dia de hoje e reduzir um pouco suas expectativas?

Fale que pretende juntar mil reais apenas em dois meses.

Quando isso for fácil para você, aumente um pouquinho a meta e assim por diante.

Quando cultivamos expectativas, nos frustramos e carregamos essa frustração por um longo período na nossa vida, remoendo sempre a mesma história de que não conseguimos cumprir o que determinamos.

Manipule isso criando metas menores e expectativas menores em relação a vida.

Conclusão

Exercitar o cérebro é como exercitar o corpo.

Precisamos de vontade e ao mesmo tempo disciplina diária para continuar.

Porém, se vemos os resultados positivos daquilo que estamos fazendo ao nosso redor, percebemos aí uma oportunidade de continuarmos nos exercitando para o nosso próprio bem estar.

Torne-se o diretor do seu cérebro.

Comande-o.

Faça-o fazer aquilo que você quer e perceba, através da auto-observação, como você pode tornar-se melhor que você mesmo dia após dia.

Confira também a palestra do David Rock no TEDxTokyo (em inglês).