Entrevista com Jason Fried, da 37Signals



Assisti uma entrevista do Jason Fried da 37Signals falando sobre a sua apaixonante empresa que cultiva mais de 3 milhões de clientes. Uma empresa que admiro bastante devido a sua visão ampla e simples dos negócios. A entrevista aconteceu na Chicago Booth School of Business com a participação de professores e alunos no dia 13 de novembro e mostrou porque Jason é considerado um líder na internet e nos negócios pelas suas perspectivas originais de como se conduzir uma empresa. Alguns pontos eu anotei do vídeo que possui pouco mais de 71 minutos. Veja a seguir.



Cobre sempre pelos seus serviços/produtos
Jason explica que quando damos algo de graça, não importa muito se aquilo que oferecemos possui alguma qualidade. Não há comprometimento. É apenas mais um serviço ou produto grátis. Porém, quando pedimos um valor pelos nossos serviços (Jason não gosta da palavra monetizar) inferimos ele a um padrão de qualidade esperado pelo nosso cliente que, ao dar 20 ou 50 dólares por um serviço ou produto, espera que o que adquiriu valha à pena. Da mesma forma, se captamos clientes ao invés de usuários, medimos, pelo número de clientes, se nossos serviços e produtos estão satisfazendo à demanda do mercado. Ter muitos usuários não significa nada e também não cria comprometimento entre as partes. Noto isso pelo plugin que construímos na Noxion para WordPress, distribuído gratuitamente para os usuários da plataforma. Temos pouco mais de 900 usuários, mas nenhum cliente (ainda). Desta forma, sempre acabamos tendo outras prioridades que não atualizar o plugin.

Fazer dinheiro é como tocar piano
Ele complementa dizendo que a prática de fazer dinheiro é a mesma prática de se tocar bem piano. Na realidade, fazer dinheiro deve ser considerada uma habilidade, competência que pode e deve ser adquirida ao longo da vida. Quanto mais cedo você começa e mais você pratica, você se torna melhor a cada dia até chegar a um nível onde fazer dinheiro se torna algo fácil como para quem toca bem piano.

Cultive a paciência nos negócios
Ter paciência é algo importantíssimo segundo Jason, porém, por vezes é difícil você ter paciência e tranquilidade quando o dinheiro começa a faltar. Daí o princípio de fazer algo simples e que se goste, pois só assim o seu empenho será o máximo todos os dias e construirá um negócio naturalmente. Ele destacou que está há 10 anos no mundo dos negócios e que só agora tem todo esse sucesso. É preciso permanecer um pouco no vale para depois subir a montanha e, enquanto estiver lá, aproveitar ao máximo esse tempo para renovar o negócio.

Como conseguir audiência e publicidade
Ensinar, apenas ensinar o que você já faz. Jason citou o exemplo de chefs de cozinha que apresentam programas na televisão no estilo faça você mesmo. Eles explicam como fazem suas melhores comidas, ensinam tudo a você e vendem por consequência seus livros, suas panelas, seus utensílios domésticos, etc. Deu também um ótimo exemplo sobre como um “handyman” pode alavancar seu negócio ensinando outras pessoas a realizarem pequenos consertos em suas casas. Apesar da idéia de que ele perderá alguns negócios com isso, o que acontecerá é que ele fechará um bom negócio quando uma pessoa que resolveu um pequeno problema na sua casa, seguindo um de seus vídeos, tiver um grande problema. Essa pessoa não hesitará em chamá-lo porque já confia nele.

Não peça empréstimos ou investimentos
Jason foi enfático e convincente ao afirmar que não devemos pedir empréstimos ou investimentos para construir nossos negócios, pois se isto acontece, no primeiro dia de funcionamento da empresa, ao invés de pensarmos em como ganhar dinheiro, ficaremos pensando como gastar aquele dinheiro que pedimos emprestado. E empresas são feitas para fazer dinheiro e não para gastar dinheiro.

Escolas, inovação e utilidade
O problema da escola é que ela te força muito a prestar atenção nas coisas que você não deve fazer, disse Jason. Isso te enquadra e mina a sua criatividade. Além do mais, te induz ao erro de pensar que a inovação é trabalhosa. Aliás, continua Jason, as pessoas se apegam muito ao termo inovação esquecendo-se que inovação é entregar algo que seja útil nas mãos de uma pessoa. São pessoas que usam ferramentas, sejam elas reais ou virtuais. E no final das contas as pessoas não querem utilizar algo que dê trabalho, querem utilizar algo que lhes seja útil.



Contrate somente alguém que você precise
Na 37Signals eles só contratam alguém quando sabem exatamente o que a pessoa que ocupará o cargo fará. Depois desta etapa, começam a “namorar” o(a) futuro(a) candidato(a) e só fecham a contratação após algum tempo quando criam empatia entre as duas partes. Para Jason é importante que as pessoas sejam simpáticas umas com as outras dentro da empresa e que cultivem os mesmos sentimentos em relação a vida e ao futuro de si mesmas. Pessoas curiosas que não sabem tudo, mas que se empenham em saber sempre mais são o público alvo dos candidatos a funcionários da 37signals que tem cerca de 18 pessoas apenas espalhadas pelo mundo.

Para encerrar, destaco a recomendação de Jason Fried para quem quiser começar qualquer negócio: Faça um curso de oratória ou prepare-se a todo momento para discursar em público. A habilidade de falar em público é, sem dúvida, a mais requisitada atualmente.

Confira o vídeo completo da entrevista abaixo ou através deste link: http://vimeo.com/7751855



2 Comentários

  1. Muito boa a síntese que você fez. Além de honesta, forneceu "pilulas", na medida certa, dos principais temas abordados na entrevista, o que nos incentiva a revê-la com mais atenção.

    Obrigado.

Comentários não permitidos.