Insistimento Entrevista – Thiago Nascimento e Ricardo Dantas do Bloompa.com.br



Tive o prazer de conhecer esses dois jovens empreendedores em um Café com Negócios promovido em Curitiba pela Empreendemia e Flow Comunicação. Para a minha surpresa, tanto o Thiago como o Ricando eram fãs do Insistimento e logo começamos a trocar ideias sobre o Bloompa, uma rede social voltada para o comércio eletrônico que eles ainda iam lançar. De cara, comprei a ideia e me tornei fã deles e do aplicativo do Bloompa no Facebook.

Para inaugurar a primeira edição da Revista do Insistidor, nada melhor do que uma entrevista com empreendedores que resolveram abandonar seus empregos para investir suas vidas em algo totalmente novo. Você vai conhecer a história destes dois, como eles conseguiram investimento e ainda como estão chamando a atenção para a sua plataforma de social commerce, algo bem novo aqui no Brasil.



O software voltado para a web que o Thiago e o Ricardo desenvolveram é algo que vai na contramão dos atuais sites de compras coletivas. Ao invés das empresas promoverem descontos de produtos para um grande número de compradores, são os compradores que “bloompam” aquilo que desejam comprar e as empresas oferecem descontos nestes produtos. É algo como se pudéssemos ter a nossa lista de compras de vários sites todos em um só lugar. Em um determinado momento, o Thiago e o Ricardo, ficam sabendo através do Bloompa, que mil pessoas estão interessadas em comprar um determinado produto de uma determinada empresa. Eles avisam isto para a empresa que através do sistema deles faz uma promoção somente para aqueles potenciais compradores.

Inicialmente, o Bloompa nasceu para fazer uma lista de desejos coletivas, mas eles foram se aprofundando no negócio quando começaram a perceber as possibilidades de ganhos que poderiam ter com o compartilhamento dessas informações. Eles procuraram outras startups no mundo que tinham modelos similares ao Bloompa e até encontraram algumas nos Estados Unidos e China, mas adaptaram o conceito e o modelo de negócios para a realidade do nosso país de modo a não haver erros de implementação.

Eles começaram o projeto do Bloompa em outubro de 2009, fazendo pesquisas a partir da ideia inicial que era um pouco vaga até que a estruturaram melhor. Eles investiram muito mais tempo de pesquisa do que de desenvolvimento, o que demonstra que é real a necessidade de se planejar bem antes de se executar algo.

Ambos os sócios do Bloompa eram desenvolvedores de software, trabalhando como empregados em empresas comuns, mas com algum vínculo com a internet. Thiago trabalhava em um site de reserva de passagens aéreas e Ricardo em um curso de idiomas. Eles se conheceram em um MBA, quando a sinergia entre os dois surgiu, assim como a ideia Bloompa. Começaram desenvolvendo o negócio em paralelo a seus empregos até o final de 2010, quando tinham 70% do software pronto e conseguido levantar capital para se manterem só com este novo negócio.

Eles conseguiram um terceiro sócio de uma maneira bastante inusitada. Como o Ricardo estava estressado por trabalhar em dois lugares, ele foi muitas vezes ao médico por causa de um problema no estômago. O médico passou diversos exames para o Ricardo e em uma das consultas, perguntou o que estava havendo com ele, se ele estava passando por alguma tensão ou problema, etc. O Ricardo contou para o médico sobre o projeto do Bloompa e sua dificuldade em trabalhar em dois lugares ao mesmo tempo. Entregou o seu cartão de visitas para o médico imaginando que o seu interesse era o de se tornar um mero usuário do aplicativo no Facebook. Foi depois de alguns dias que o Ricardo recebeu uma ligação do médico pedindo que eles lhe apresentassem formalmente o modelo de negócios, pois existia uma possibilidade dele se tornar investidor. Para a surpresa de ambos, o médico topou a sociedade e assim eles conseguiram ter mais segurança para sair dos seus atuais empregos e fazer decolar o Bloompa.

A entrada desse terceiro sócio acelerou a finalização do projeto do Bloompa por ter possibilitado antecipar a saída de ambos dos seus empregos para se dedicarem exclusivamente ao novo negócio. Porém, o Thiago e o Ricardo tinham um plano muito bem definido para o seu projeto. Tanto que até tinham uma data limite onde os dois deixariam seus empregos para se dedicarem ao Bloompa. Evidentemente, fica claro que o fato deles já terem boa parte da aplicação do Bloompa desenvolvida e um projeto bem sólido favoreceu a entrada deste terceiro sócio e impulsionado o negócio.



O mais bacana da parceria entre o Thiago e o Ricardo é que eles conseguiram, por acidente, se vincularem de tal maneira acerca do Bloompa que conseguiram concretizar a ideia. Uma das principais dificuldades como empreendedor é conseguir um sócio que “case” com as suas ideias e que tenha o mesmo nível de comprometimento que você. Os sócios do Bloompa se encontraram em um curso de MBA e de lá pra cá, tem mantido uma relação profissional sólida de fazer inveja a quem tem anos de experiência como empreendedor.

Nessa entrevista ficou muito claro que trabalhar no modelo de negócio é muito mais importante que trabalhar no desenvolvimento do negócio em si. Eles recomendaram o livro The Art of the Start do Guy Kawasaki como livro de cabeceira que qualquer empreendedor de startup. O livro trata justamente da questão onde a maioria dos negócios fracassam: transformar ideias em ações. Além disso, este livro mostra passos essenciais para lançar excelentes produtos, seviços e empresas. Em português, o livro pode ser encontrado sob o título de A Arte do Começo na maioria das livrarias online.

Como a maioria dos leitores do Insistimento, o Thiago e o Ricardo, saíram de seus empregos e iniciarão a sua própria empresa com muita coragem, suor e insistência. Por isso, lhes pedi algumas recomendações para aqueles que almejam trilhar o mesmo caminho:

  • Experimente: experimente tudo o que puder, tanto no modelo de negócio quanto na parte técnica. Valide o seu negócio e teste o máximo que puder, fazendo um negócio o mais magro possível.
  • Não desista: mesmo que você tenha que trabalhar em tempo parcial no seu negócio, faça. Aposte, tenha disposição e insista até o fim para realizá-lo.
  • Divida suas ideias: conte para os outros aquilo que você quer fazer, pois a essência do negócio está dentro de você. Não existe isso de roubarem a sua ideia.
  • Aposte na sua ideia: desafie o status quo e aposte na sua ideia, indo para a zona de desconforto para provar a si mesmo o seu comprometimento.

O bate-papo foi ótimo porque eles demonstraram a importância de um bom planejamento para sair do emprego e abrir a sua própria empresa. Sem um bom planejamento corre-se muitos riscos que às vezes não temos capacidade de nos comprometer. Sair do emprego e tocar o próprio negócio é uma questão muito mais de sobrevivência do que de ter sucesso. Primeiro, você paga as contas, depois você cresce.

EXTRAS:
Livros Recomendados:

  • A Arte do Começo (Guy Kawasaki)
  • A Vaca Roxa (Seth Godim)
  • O Melhor do Mundo (Seth Godim)
  • Mais Tempo, Mais Dinheiro (Christian Barbosa e Gostavo Cerbasi)
  • Inovadores em Ação (William C. Taylor e Polly LaBarre)

Blogs recomendados:

Comentários:

“Compartilhar a idéia foi essencial para melhorarmos o conceito do Bloompa e abrir novas oportunidades. Chegamos no que é hoje graças ao feedback que recebemos.”

“Quando percebemos que a idealização do Bloompa era um negócio viável, chutamos o balde! Vendemos nossos carros e planejamos a saída de nossos empregos.”