Os 7 pecados capitais do empreendedorismo



Hoje resolvi fazer uma brincadeira levando o famoso tema dos “pecados capitais” para o empreendedorismo. Existem dois tipos de pecados segundo o catolicismo: aqueles que são perdoáveis e aqueles capitais, merecedores de condenação. Aqui, trataremos dos sete pecados capitais, os vícios que todo o empreendedor é tentado a possuir para corromper a si mesmo e a sua empresa. Preste muita atenção em como eles surgem e como podem te dominar.

1. GULA

Você quer que a sua empresa cresça acima de tudo e para isso contrata uma equipe de vendedores que põe cliente para dentro da empresa de todo o jeito. Você vê o seu fluxo de caixa crescendo sem parar e adora ver isso! No entanto, você não consegue entregar o que foi prometido e vê seu negócio sucumbir às propagandas negativas, no boca a boca e aos processos que são abertos contra você. Em um momento, você parecia estar lá no alto, mas no outro, devido a sua gula de querer mais e mais, você morre engasgado.

2. AVAREZA


Publicidade

“Esse produto é muito caro! Esse serviço é muito caro! Contratar um funcionário é muito caro! Esses impostos são um absurdo!” frases assim, são ditas da boca do avarento que deseja tudo para si e se incomoda em compartilhar a sua riqueza. Ele não quer pagar salário bom para seus funcionários, mas quer que eles deem o sangue pela empresa. Não quer pagar impostos, mas quer que os políticos parem de roubar e o governo conserte os buracos da rua da sua casa. O avarento é um incoerente completo, pois não valoriza e quer ser valorizado. Não dá para uma empresa crescer com alguém como ele no comando.

3. LUXÚRIA

Lembro-me daquele desenho do Pica Pau em que um tabelião de cartório dizia “Mulheres, automóvel. Mulheres, iate. Mulheres, mansões.”. Infelizmente conheço empreendedores, que liquidam a empresa mês após mês para satisfazer os seus desejos pessoais. Preferem ficar presos dentro das quatro paredes da empresa, fazendo o trabalho que poderiam delegar apenas para pagar as prestações do carro ou as viagens ao exterior. Isso não é ser empresário. Ser empresário é como ser um Cavaleiro Jedi, que leva paz e prosperidade aos quatro cantos da galáxia.

4. IRA

Empreendedor também tem suas “raivinhas”. Alguns deles se metem a criar suas empresas só para ferrar a vida do outro. Seus olhares sempre estão para fora, imaginando como os outros irão passar a perna no seu negócio e ele passar a perna nos outros. Enquanto o empreendedor se comportar assim, sua empresa cresce sem as bases sólidas e sucumbe rapidamente a energia do mercado, nascente de boas empresas que nascem para fazer o bem. Deixe o seu concorrente lá fazendo o dele e preocupado contigo. Enquanto ele perde o tempo dele com seus “probleminhas”, você cuida da sua casa para abrigar cada vez mais gente.

5. INVEJA

Tem gente que até xinga o outro, só porque esse outro teve mais senso de oportunidade. Um caso típico de quem não quer assumir os próprios erros. O camarada olha que o concorrente está fazendo dinheiro e, ao invés de criar uma solução mais inteligente que a do concorrente para o seu mercado, perde tempo invejando e copiando o modelo dele para aplicar na sua empresa. Isso dará certo? É claro que não. Enquanto olharmos para fora, ocupando a nossa mente empreendedora com bobagens, não nos desenvolveremos como empresários dentro do nosso próprio negócio. Invejinha não tá com nada!

6. PREGUIÇA

Eu acho que nem precisava comentar esse pecado, tendo em vista que o nome deste blog é “Insistimento”. Mas vou comentar para dar mais ênfase ao que já falamos por aqui há mais de três anos. Se você é preguiçoso e passa o tempo em frente a televisão, desista. Isso mesmo, desista. Empreendedorismo não é para quem gosta de ficar na cama depois de acordar ou deitar bem antes de dormir. Empreendedorismo é para quem tem pique. É para quem não tem barriga de chopp. É para quem não tem a bunda mole. Empreendedorismo é para quem gosta de acordar cedo, tomar um banho e meter as caras. É para quem gosta de falar e escutar reclamação do cliente e vender. Empreendedorismo é comer rápido para voltar a trabalhar. Me aponte um empreendedor que não tenha mais preocupações do que quando era empregado, que eu te direi que ele não é empreendedor. Chute a preguiça e levante de cama já se quiser empreender.

7. VAIDADE

Hummm… Tem gente que se acha! A pessoa cria uma startup, consegue bons clientes, começa a ganhar dinheiro e logo ela senta no trono que construiu sobre as nuvens e passa a olhar os reles humanos cá embaixo. Trata seus clientes como meros números apontados no balancete e incorpora políticas que não ajudam seus clientes a crescerem. Essas pessoas afirmam todos os dias em frente ao espelho que são melhores que os outros e que são imbatíveis até que… Até que você já sabe né? Quanto maior a ilusão maior o tombo. Encare tudo como um exercício para a sua personalidade. O dinheiro dá uma falsa sensação de conforto que nos ilude. Portanto, sem dinheiro ou com dinheiro, seja o mesmo. Continue o mesmo dentro de você e prossiga exercitando seu ego tolo, segurando os seus cavalos bem firme. Só assim você consegue tornar-se realmente um empreendedor.


Publicidade

Meu recado de hoje é: Deseje menos, sonhe mais. Olhe para dentro e não para trás. Mova-se para frente, sempre um dia a mais. E concentre todas as suas forças, para ser mais do mesmo que você já é.


Publicidade